• banner-vestibular-2018-2








Fique Sabendo

Imprimir

Formaturas de Agronomia e Veterinária serão dia 7

banner-formatura-agro-vetEstão previstas para o dia 7 de julho, as solenidades de formaturas da 50ª turma de Engenharia Agronômica e da 15ª turma de Medicina Veterinária, da Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram), instituição mantida pela Fundação Educacional de Ituverava. As colações de grau serão no Núcleo Cultural “Dra. Paulo Borges de Oliveira”, Salão Social da Apae, às 19h30.

O paraninfo da 50ª turma de Agronomia, que recebeu o nome de “Professora Anice Garcia”, é o professor José Antônio de Souza Rossato Júnior; o patrono é o diretor-executivo da Fundação Educacional de Ituverava, Roberto Inácio Barbosa, e padrinho o deputado federal e secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim.

Pela manhã do dia 7, às 10h, os 52 formandos em Engenharia Agronômica farão o plantio da árvore da turma e descerrarão a placa dos formandos. Às 19h, foi realizada a Celebração da Palavra, seguida pela Colação de Grau.

MEDICINA VETERINÁRIA

A 15ª turma de Medicina Veterinária “Professor Rafael Paranhos de Mendonça”, tem como paraninfa a professora Elzylene Lega Palazzo; o patrono é o diretor-executivo da Fundação Educacional de Ituverava, Roberto Inácio Barbosa, e padrinho o professor Daniel Paulino Júnior.

Os 21 formandos do curso de Medicina Veterinária realizarão o plantio da árvore da turma e descerrarão a placa dos formandos às 10h30, do dia 7. Às 19h, será realizada a Celebração da Palavra, seguida pela Colação de Grau.

De acordo com o diretor da Fafram, Márcio Pereira, a instituição mais uma vez coloca no mercado profissionais altamente qualificados. “É mais uma missão cumprida pela Fafram, instituição que busca sempre formar profissionais para atuar com competência nos mais diversos segmentos do mercado”, afirma.

“Agronomia e Medicina Veterinária são duas áreas que estão em constante crescimento, e tenho certeza que os formandos se darão muito bem no mercado de trabalho”, completa odiretor Márcio Pereira.

Fonte: Tribuna de Ituverava

Imprimir

Aluno da FFCL faz análise de custo da cesta básica

Ele apresentou cálculo do índice de variação de preços da cesta básica em Ituverava em janeiro de 2016

banner cesta iedoNo começo do ano, a Tribuna de Ituverava publicou o artigo idealizado por Iedo Matuela Filho, aluno do curso de administração da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ituverava (FFCL), a respeito do cálculo do índice de variação de preços da cesta básica do município em janeiro de 2016. O trabalho acadêmico foi acompanhado e orientado pelo coordenador do curso, o professor Eduardo Garbes Cicconi.

Agora, após alguns meses, Iedo escreveu um novo artigo, atualizando as informações até o mês de maio. A iniciativa do estudante foi bastante elogiada pelo corpo docente do curso, bem como pela diretoria da FFCL, isso porque o trabalho reúne dados e estatísticas relevantes para a sociedade.

O estudante de Administração é filho de Iedo Matuela e Lourdes Matuela. Confira na íntegra o artigo escrito pelo jovem: 

FFCL apresenta relatório de cesta básica de Ituverava

Fonte: Tribuna de Ituverava

Imprimir

FFCL apresenta relatório de cesta básica de Ituverava

banner pesquisa ffclTrabalho realizado pelo curso de Administração da FFCL (Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ituverava) apresenta boletim atualizado, agora com os dados de maio inclusos na pesquisa, coletada em Ituverava, o levantamento de dados da Cesta Básica é apresentado a partir de janeiro/16, apresentando variações em fevereiro, março, abril e maio.

A metodologia de coleta é a mesma usada pelo DIEESE, tendo seus comparativos abaixo. A cesta básica em Ituverava apresenta deflação de seus preços em fevereiro, março e abril, apresentando variação positiva apenas no mês de maio.

Também são apresentadas as horas necessárias por mês de trabalho para a compra dos produtos da cesta, usando como base o salário mínimo de R$ 880,00 ( Oitocentos e oitenta reais) e o total de horas trabalhados por mês (176 horas). A primeira variação, apresentada em fevereiro, é impactada pela queda do valor do tomate e da batata e as maiores altas, ambas com 8% são o feijão e a farinha.

A variação entre fevereiro e março é acentuada com a queda de -11% no valor do Acém e -8% no valor da banana. A maior alta foi no feijão, variando de 9%.

Entre abril e março, a queda é influenciada em grande parte com a queda do tomate e da batata (-28% e -33% respectivamente). A maior alta foi do leite, com 10%, seguida da carne, 8%.

A variação apresentada entre maio e abril representa o primeiro aumento, de 2,04%. O aumento foi impulsionado pela Batata (37%), seguido pela variação do Leite (5%), Feijão 1kilo (4%) e Margarina (4%).

Em comparação com a cesta do DIEESE, no mês de fevereiro houve quedas em capitais brasileiras, como -1,1% em São Paulo, -2,89% em Brasília, -3,66% em Porto Alegre e chegando a uma queda de -8,45% em Vitória.

tabela1

No mês de março as capitais tiveram altas apresentadas, como 0,16% em São Paulo, 1,38% em Brasília, 2,3% no Rio de Janeiro. As quedas aconteceram nas capitais no Norte e Nordeste do país, como por exemplo -12,87% em Manaus e -7,05% em Boa Vista.

Em abril, observando os dados apresentados pelo DIEESE, houve quedas em diversas capitais do país, como São Paulo (-0,38), Rio de Janeiro (-1,55%), Brasília (-3,84%). As altas aconteceram em João Pessoa (3,96%), Recife (3,27%), Natal (2,61%) e Boa Vista (2,52%).

É importante ressaltar que os níveis dos preços acima são da ces ta bás ica apenas, não abrangendo outros itens, como serviços e vestuário por exemplo. Isso pode explicar a diferença de valores que é observado entre, por exemplo, o indicie IPCA ou IGP-M, normalmente apresentados na mídia, que tem uma diferente metodologia, utilizando outras fontes de consultas e cálculos.

Detalhes sobre a metodologia utilizada

A cesta básica, na metodologia proposta pelo Dieese, é composta pelos seguintes produtos e as respectivas quantidades:

tabela2

As coletas são efetuadas na primeira e segunda quinzena de cada mês, buscando
três marcas de cada produto (quando disponíveis) para utilizar na média. Assim
que temos todos os dados disponíveis, é feita uma comparação com a última coleta,
chegando à variação do percentual.

grafico1

Referências:
http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/2016/201602cestabasica.pdf
http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/2016/201603cestabasica.pdf
http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/2016/201604cestabasica.pdf

Fonte: O Progresso

Imprimir

Prêmio CREA-SP homenageia os melhores alunos da classe tecnológica

banner-crea-2016-2O prêmio Crea-SP de formação profissional premiou no último dia 09 de junho no Espaço Figueira, localizado no bairro Butantã, na capital Paulista os melhores alunos concluintes de 2015 dos cursos de Engenharia, Agronomia, Geologia, Geografia e Meteorologia. A Edição 2016 do CREA-SP destacou 261 graduandos. Também compareceram à cerimônia, familiares, professores, reitores e diretores de Universidades, conselheiros e diretores do CREA-SP entre outras autoridades. Dentre os alunos homenageados destacam-se: Henrique Peixoto Rodrigues e Alaor da Rocha Neto, formandos do curso de Agronomia – FAFRAM no ano de 2015.

foto 1
Homenageados

foto 2
Aluno FAFRAM – Alaor da Rocha Neto

foto 3
Aluno FAFRAM – Henrique Peixoto Rodrigues

foto 4
Presidente CREA Francisco Kurimori, Professoras e conselheiras do CREA Maria Amália Brunini, Margareti Nakano, conselheiro Márcio Vieira e os alunos Alaor, Henrique e esposa, demais familiares.