Imprimir

Fafram recebe pró-reitor de universidade do Peru

banner-pro-reitor-universidade-peru

Universidade Nacional Amazônica de Madre de Dios pode ter parceria com faculdade de Ituverava.

Esteve em Ituverava esta semana o Engenheiro Percy Amílcar Póllto Zevallos, pró-reitor de pesquisas da Universidade Nacional Amazônica de Madre de Dios do Peru. Na oportunidade ele entregou ao diretor da Fafram (Faculdade Doutor Francisco Maeda) Professor Doutor Márcio Pereira a minuta do protocolo de intenção visando estabelecer parceria entre as duas instituições de ensino.

De acordo com Zevallos, o próximo passo é assinar,
após passar pelo crivo dos Departamentos Jurídicos de ambas as faculdades. O pró-reitor peruano, que conheceu a Fafram há cerca de 18 anos e fazia 15 que não retornava à Ituverava, se mostrou entusiasmado pelo crescimento que teve a instituição de ensino superior, mantida pela Fundação Educacional de Ituverava.

“Percebi que as coisas tinham mudado para melhor, com conceito 5 no MEC e encontrei uma boa infraestrutura”, afirmou em entrevista ao Jornal O Progresso. “É grande a possibilidade que nossos docentes e alunos possam estar aqui para intercambiar experiências, tanto de ensino, pesquisa e projeção social, como chamamos responsabilidade social”, comentou. Ele ainda explicou que a Universidade Madre de Dios tem interesse de fazer com a Fafram a mesma parceria que já possui com outras instituições do Brasil, sendo em São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro,Pernambuco e Acre, além de universidades de outros países como Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha.

De acordo com o pró-reitor, a Universidade Nacional peruana tem procurado instituições de ensino de qualidade no Brasil, seguindo as tendências da Globalização. Ele ainda informou que considera muito importante, esta política de parcerias com objetivo de incrementar qualidade e promover internacionalização com estudantes e docentes de outros países para melhorar e atualizar as experiências do conhecimento e de tecnologias.

Segundo ele, esta parceria favorecerá aos alunos no que se refere em melhorar a qualidade profissional. “Porque o conhecimento passa ser global e não só local, e o Brasil é um país continental, muito importante na América do Sul e nós estamos há 20 anos avançando na integração comercial, financeira e nas comunicações”, salientou. “Como também muitos de nossos estudantes estarão vindo para o Brasil preferentemente porque os estudos são mais afins do que se encontra lá, então o Brasil é uma excelência para nós, porque temos um programa nacional de bolsas que dá preferência para que os estudantes façam graduação e pós-graduação no Brasil”, acrescentou. “Temos muitas carreiras profissionais que são semelhantes, aqui tem Veterináriae nós temos também, mas não temos este conhecimento, eu comparo com a Fafram com Esalq”, observou.

Conforme declarou o pró-reitor, com a parceria, tanto os alunos da Fafram poderão ter experiências no Peru como os de lá virem para Fafram. “E os professores daqui ministrarem lá, de forma presencial ou virtual, isso fortalece muito a internacionalização, e os alunos com a obrigação de falar a língua portuguesa para nós, como brasileiros fortalecem também a língua espanhola, mas este é um item”, afirmou.

“Parabéns para Fafram, dos 15 anos que não retornei aqui mudou muito, comparado à Esalq e muitas coisas até melhores, é uma instituição muito séria e nós não assinamos convênios com instituições que não têm qualidade, temos uma lei universitária que obriga nós também a fazer a internacionalização com monitoramento que assegura a qualidade dos nossos profissionais do ensino superior”, completou Zevallos. O diretor da Fafram Márcio

Pereira agradeceu a visita do pró-reitor e disse que espera em breve formalizar a parceria. “Ficamos
felizes pelo interesse da Universidade Nacional Amazônica de Madre de Dios em procurar a Fafram, comprovando que o trabalho aqui está no caminho certo e esta parceria pode ser o primeiro passo da internacionalização também da Fafram, visto que Universidade peruana já possui esta característica”, concluiu Pereira.

Fonte: Jornal O Progresso de Ituverava